Follow by Email - Suivre par Email

jeudi 12 décembre 2013

FELIZ ANIVERSÀRIO MONSIEUR DIBANGO

Emmanuel N’Djoké Dibango mais conhecido artisticamente por MANU DIBANGO fez hoje 80 anos. Um dos artistas africanos que goza uma reputação “especial” em França e um dos mais preferidos. Aliàs passa a maior parte do seu tempo neste paìs, mas nasceu em Douala (Camarões), em 12 de dezembro de 1933.

 Considerado como o “papa de afro-jazzDibango é um artista completo: Cantor-instrumentista, toca vàrios instrumentos com a predileção para saxofone... E inventor de vàrios estilos musicais entre os quais o “Soul Makossa”.
Uma homenagem lhe é feita hoje durante todo o dia, na Ràdio France Internacional (RFI) onde ele estarà presente com convidados, reportagens e programação musical.

Em 1986 Manù Dibango teve um acordo financeiro com Michael Jackson para utilização de uma das suas canções no seu albùm “Thriller”. Mas este ùltimo autorizou ainda a Rihanna para utilizar a mùsica de Dibango para o tìtulo “Don’t Stop the Music”, o que ocasionou um litìgio entre eles e Dibango. Entretanto, por fim tudo acabou por se arranjar.
Dibango veio de publicar um novo albùm e um livro com o mesmo tìtulo: “Balade en saxo, dans les coulisses de ma vie”.
Serà de novo no pròximo mês de março com um mega-concerto nas cenas de Olìmpia uma das mais conceituadas instituições musicais de Paris, aliàs cena a qual a nossa Cesària Èvora também usufruiu.

jeudi 5 décembre 2013

NELSON MANDELA FALECEU HÀ POUCO. UMA GRANDE PERDA PARA A ÀFRICA



NELSON ROLIHLAHA MANDELA, nosso MADIBA, inclinou fìsicamente perante a morte hoje, seja às 22h50 (hora francesa), à Johannesburg em Àfrica do Sul.
Sòmente a morte aos 95 anos de idade podia fazê-lo inclinar, mas não o seu ideal. Morreu em casa ladeado por sua famìlia... Sua esposa Graça Machel, a ex-esposa Winnie Mandela, filhos, e netos.
Nasceu em Mvezo, Àfrica do Sul, em 18 de julho de 1918 seu desaparecimento serà irreparàvel para o nosso continente africano, a sua heroicidade perdurarà pois o valor herdado desta dimensão se partilharà através das gerações vindouras.

Ìcone da liberdade, pai de todos os africanos e de todos àqueles que vejam na sua concepção de liberdade a ùnica alternativa para ter uma paz duradoura em Àfrica do Sul e não sò, algures onde quer que vivemos.
O Heròi de luta anti-apartheid foi hospitalizado no mês de junho deste ano num estado crìtico, foi aquando duma ligeira amelhoração permitiu que voltasse para casa mas sabia-se que “as escondidas” com a morte não podia durar muito tempo.

O actual presidente da Àfrica do Sul, JACOB ZUMA, que anunciou oficialmente a morte de “MADIBA”, prometeu como é òbvio, um funeral à dimensão nacional... E acrescentou: “QUE DEUS PROTEJA A ÀFRICA”. A partir de hoje Amìlcar Cabral não estarà sòzinho...!
R.I.P. MADIBA